quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Cordequê?

Caminhava eu pela cidade, na apuração dos preços do tomate, quando avistei um homem cuidando de um carrinho de mão, desses usados na construção civil, cheio de frutas num tom de rosa bem escuro. O homem vendia as tais frutas e algumas pessoas felizes a sua volta, compravam. Aproximei-me e indaguei: o que é isso (companheiro)? Ele me disse que era jambo e eu me espantei, já explico o motivo. Então me fez provar um. Pra ser sincera, achei bem sem-gracinha, mas como custava apenas DEZ CENTAVOS cada fruta, resolvi agradar o tiozinho e também já estava disposta a fotogafar o jambo pra concluir minha explicação.
De dentro do ônibus que estava parado ao lado do carrinho de mão, um homem pediu, pela janela: "por favor, quero dez jambos, a maçã do Nordeste..." Hum....Agora sim, associei o sabor sem graça ao da maçã. Digo, é ainda muito, mas muito mais sem graça do que a maçã. Não tenho nada de tão grave contra a maçã, só discordo de fato dela ter sido escolhida pra representar o fruto proibido... tsc tsc... Com tanta delícia no mundo, Eva foi logo se atrever pela maçã... mas enfim, já passou e poderia ter sido pior se o paraíso fosse no Nordeste...
Bem, agora que acabei de sab... sab... saborear(?) dois jambinhos (é só intimidade, nada a ver com carinho) e tirar fotos dos danados, quero explicar o motivo do meu espanto. Oras, sempre ouvi por aí descrições do tipo "moreno cor de jambo" e sempre imaginava um tom castanho-marrom-dourado, pois ignorava a aparência real da fruta propriamente dita. Pois bem, agora que fui apresentada ao verdadeiro dono da cor, posso afirmar que "moreno cor de jambo" é apenas uma forma jocosa de se descrever o branquelo que dormiu na praia com a cabeça cheia de cana e acordou muito queimado do sol. Ainda comentei com o vendedor que "moreno jambo" pra mim sempre foi outra coisa, sempre imaginei uma cor bem diferente do rosa pink, mas ele apenas riu e disse com aquele jeito baianês de ser que "era isso mesmo". HEIN??
Então, nada mais de "pimentão" (que não define muito bem a cor do indivíduo, pois pode ser verde, amarelo ou vermelho) ou de "camarão" (que também deixa a desejar na fidelidade da descrição já que nunca mencionamos se é cru, seco, cozido ou frito) pra apelidar o sujeito que fugiu do protetor solar, pois de agora em diante usarei somente a expressão "moreno jambo" e terei sempre a mão a foto da fruta para dirimir quaisquer dúvidas que por ventura possam vir a surgir perante o adjetivo.
E agora, depois de todo esse disse-me-disse em torno do jambo e sua cor, fico aqui matutando se existe láaaaa no fundo alguma ligação genética entre ele e o jambolão... cric... cric... cric...

Nenhum comentário:

Postar um comentário